quarta-feira, 8 de julho de 2015

Estado Laico


O Ateísmo crescente te se esforçado para retirar das Câmaras Legislativas nacionais os religiosos. Quando digo religiosos refiro-me aos evangélicos. Esse ateísmo crescente em nossa nação está amparado no marxismo ideológico presente no coração do Brasil, isso porque, o partido presidencial ampara, patrocina e coordena todas as ações que possam trazer perturbações a crença, com a finalidade de a mesma vir a descer ao nível em que se colocam, para serem participantes de debates infelizes, e assim, ser rejeitada pela sociedade brasileira, recebendo o rótulo de fundamentalista e conservadora ao extremo. O jogo deles é mais sujo do que se possam imaginar, e não medem esforços para atingir os seus objetivos. Esquecem que o estado laico não é um estado ateu, e sim, um estado de respeito mútuo entre todos os seguimentos religiosos, teológicos, ideológicos e ateístas, onde um não pode exercer influencia sobre o outro com apoio do meio publico. Esquecem que os preceitos morais constitucionais estão amparados numa sociedade moderada, com fins, de proteção da família e consequentemente da nação. Daí a necessidade do parlamento brasileiro ter a liberdade amparada na democracia para o debate de ideias coerentes, e juntos, escolherem o que é melhor para a sociedade, independente de qualquer principio, mas com a honestidade necessária numa boa decisão, onde terá o apoio maciço da sociedade em questão. Mas infelizmente isso não ocorre, e o pior, é que esses tidos como minoria, tem se valido de instrumentos poderosos para driblar esses debates. Eles têm usado os instrumentos da justiça (que está aparelhada) e do Ministério da Educação (que pertence ao partido presidencial), através do PNE (Plano Nacional de Educação), que por consequência, acaba dando algumas canetadas ideológicas. Essa ideologia, implantada pela beirada, está sendo lançada goela abaixo do povo brasileiro. Esse comunismo bolivariano não respeita o contraditório, ele afronta e rotula qualquer um que se coloque em seu caminho, destrói, se puderem verdadeiras biografias em nome de sua intolerância. São verdadeiros ditadores disfarçados de democratas, mas não gostam da liberdade do povo e nunca lutaram por ela. São dissimulados nas defesas de suas causas, agindo sempre por trás, e não há sintonia entre as suas palavras e seus atos. E por isso, todo cuidado é pouco com essa gente.

sábado, 13 de junho de 2015

Festa Junina


Que saudade das festas juninas do meu Rio de Janeiro. A igreja católica se engajava pra valer em comemoração aos santos reverenciados neste mês, são eles: Antonio, João e Pedro. A quermesse não decepcionava para fazer acontecer à festa junina no pátio da igreja próximo a minha residência. Lembro-me que antigamente, lá pelos anos setenta e início de oitenta, no mês de junho a população se movimentava como um todo. As ruas eram enfeitadas com bandeirinhas coloridas, os bambus limitavam a extensão do espaço da rua utilizado formando um arco, as barracas não podiam faltar principalmente a de pescaria, maçã do amor, a de arremesso de meias nas latas empilhadas, entre tantas outras. As quadrilhas disputavam palmo a palmo qual era a melhor e todos se atreviam dançar, até as escolas tinham o evento popularmente chamado de caipira, as mães participavam atentamente para que seus filhos dançassem com os coleguinhas de classe e a parte que eu mais gostava de assistir era o casamento. Os baloeiros nos recepcionavam com enormes e lindos balões e armações pra lá de criativas, mas hoje virou crime soltar balões por causa dos riscos de incêndio. Já em torno de nossas residências não faltavam às fogueiras para assar batatas e nos aquecer junto a um quentão maravilhoso diante de um inverno bem friento. Esta época era propícia para o inicio de novos relacionamentos amorosos, novas amizades e uma interação maravilhosa entre a vizinhança. Mas hoje tudo parece ter esfriado, as pessoas andam muito distantes umas das outras, as festas populares como a junina já não as atraem mais e a colaboração tão desejada no passado ficou para trás, não existe mais interesse de uma maior aproximação. O mundo mudou para pior e o maior reflexo é a distância provocada pela mudança de relacionamento, que deixou de ser aquela aproximação tão natural para ser uma relação online, mais cômoda e fria, sem verdade alguma, não tem mais o famoso olho no olho, uma pena!

segunda-feira, 4 de maio de 2015

O Esforçado e o Preguiçoso!


Assim diz o esforçado: Dia 1º de maio é dia do trabalho ou do trabalhador? Não importa! É uma relevante conquista e temos que celebrá-la com afinco junto aos nossos familiares. Digno é o trabalhador do seu salário disse o nosso grande Apóstolo Paulo e cada um cumpre sua missão para não deixar mal o seu patrão e nem a família na mão! Um trabalhador decidido não tem medo da vida, é digno de vivenciar os seus objetivos e quem vive com propósito de sucesso nesta área, motiva só quem pensa em crescer na vida. Ser alguém que acredita nos sonhos realizados através do trabalho é maravilhoso e ser o primeiro é objetivo de todos. Ser pioneiro é coragem de um grande desbravador! Ser somente um no meio é para os outros, mas ser dia primeiro de maio é ser dia do trabalhador. Trabalhar por necessidade é obrigação de todos, trabalhar por prazer é inspiração, trabalhar sem sonhar é triste, mas trabalhar com objetivos traçados é ser vencedor! Vamos reverenciar esse lindo dia onde o trabalhador conhece o seu grande valor e não vamos esquecer que essa gente leva o nosso país ao topo no exterior. Porém, assim diz o preguiçoso: Dia 1º de maio é dia do trabalho ou do trabalhador? Eu não quero nem saber, eu ignoro tudo isso e ainda mataria quem o inventou! Só que ele não sabe que não pode matar o Criador. A palavra de Deus diz que o preguiçoso deveria aprender com as formigas para não sofrer com a chuva, o frio e a fome que sempre vem. Mas os preguiçosos geralmente só querem saber de bebidas, pois alcoolizados atenuam as frustrações de suas vidas. Essas pessoas patéticas não tem motivação para combater nada, até mesmo a inércia! Preguiça é um estilo de vida para alguns e uma tentação para muitos, no entanto, para o homem lutador a preguiça é pecado. No obstante a questão: na disputa do esforçado e o preguiçoso, um sonha e corre atrás para que o seu sonho se torne realidade, já o outro vê somente as dificuldades e vive a procurar desculpas que lhe servirão de motivo, por não ter conseguido alcançar o seu objetivo. E o maior exemplo que fica como frutos dessas duas vidas são: Os esforçados que trabalham têm em suas conquistas os frutos que servirão de exemplo para a sua posteridade, e na maioria dos casos, até servem como alicerces para essas vidas que estão chegando ao mundo, pois o seu amparo legal é fundamental para o crescimento dessas novas gerações. No que tange ao preguiçoso, os seus frutos já nascem condenados à fome, a miséria e a violência gratuita, que vem de todas as partes e ele não tem como protegê-los, pois não conseguiu acumular bênçãos oriundas dos seus esforços, pois eles nem existiram, daí fica toda a sua linhagem entregue a própria sorte.