terça-feira, 22 de abril de 2014

Eu Queria Tanto - Poesia


Eu queria tanto que você soubesse,
Que o nosso amor é eterno sim!
Desde que venhamos a nos entregar,
Com a força de dois corações afins!

Ele não pode ficar em suas mãos...
Nenhuma válvula de saída é o fim.
Mas também em minhas confusões,
Vamos sofrer como as cordas do bandolim

Os toques nos lábios os fazem molhar
Mas o seu sabor é como amendoim
Salgado e saboroso no melhor do amar
Sua cor lembra a beleza do lindo carmesim

O simpático do amor é a unidade
Vento que sopra a favor assim
Duas partes juntas numa dualidade
Respeito e cumplicidade como um jardim

domingo, 20 de abril de 2014

Vidade Extrema - Poesia (Humor)


No espelho me vejo sem complexos
Assistindo as rugas surgindo no rosto
Observo a beleza deste meu sexo
Linda imagem diante dos meus olhos

O meu humor é sempre refletido
Seja bom ou ruim ele é verdadeiro
Nas lágrimas a tristeza eu aceno
Quando alegre é momento terno

Cada lance é registrado no espelho
Retribuição de uma ação e imprevisto
Nele tudo fica muito mais que lindo
Lance de amor no momento matutino

Reflexo que faz de mim um homem divino
Fico assim extasiado enquanto medito
E margeando os meus contornos acredito
Ser eu o homem mais belo do mundo

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Palavras - Poesia


Todas as palavras que foram ditas
Transformaram o duro e pobre coração
Formosearam o rosto da jovem linda
Assim como uma maravilhosa canção

A ternura que agora fica amostra
Jardim florido na sua belíssima casa
Júbilo de glória em meio às lágrimas
Que lavam a alma quando derramadas

Moça feliz que agora fica esplendorosa
Viaja nas nuvens dos merecidos elogios
Ouvidos atentos a qualquer poesia ou prosa
Quanta felicidade no seu mundo antes vadio

quinta-feira, 17 de abril de 2014

O Caminho - Poesia


Caminhando pelas ruas sem muita alegria
Sabendo de todas as possíveis limitações
O princípio pode ser sinal de um cruel final
Nos tombos da vida com prováveis variações

Remove e contorce provocando o pobre ser
As veredas da vida inútil anuncia a maldição
Restauração e destruição sem fim deixam duvidas
Recôndito futuro o assombra com contradições

Terra movediça sem a firmeza esperada
Absorve toda essa louca vida na calada
Tremula no escuro da incerteza está à vida
Desprendendo com intensidade a triste alma

Os seus ossos ainda confiam e seguem firmes
Eles o mantêm de pé nesta dura e árdua labuta
O alicerce mais sólido provoca o epílogo do filme
Para assim poder dar a volta por cima nesta vida

terça-feira, 15 de abril de 2014

Mero Sofredor - Poesia


Sou um mero e miserável sofredor,
Quando o egoísmo me controla.

Sou péssimo ser humano fútil,
Quando a vaidade me envolve.

Sou semente boa ou má,
Depende de minhas escolhas...

Raízes profundas das árvores,
Quando me comporto na boa!

Rocha inabalável na certeza,
Areia frágil na incerteza...

Mania boa que agrada,
Momento bom que me afaga.

No mundo as lutas me consomem,
Nela nasço, morro e digo amém!

domingo, 13 de abril de 2014

Aborto - Poesia


Aborto é uma coisa muito triste
Ação de mulheres desprezíveis
Matar um incapaz que já existe
Sem argumentos e dedo em riste

Quem coloca muito homem em sua cama
Não segura nenhum em seu coração
Com o tempo vai sofrer as consequências
De sua nefasta e assassina decisão

Eu já levei muitas mulheres para cama
Mas sei que o homem é pautado na razão
Mulheres não podem descer a esse nível
Sem os riscos de destruir a sua emoção

A sensibilidade feminina é maravilhosa
Sua ternura vem nas palavras e gestos
Seu amor aquece e lhe deixa majestosa
E mostra que nela há um coração honesto

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Mulheres - Poesia


A vida é romântica aos olhos das mulheres
Nos seus planos elas avistam o puro amor
Tudo o que elas veem não passam de teses
Recompensa deste ato é o sofrimento e a dor

A vida se mostra cruel com essas meninas
Mesmo os seus olhos desprezando o perigo
Fingem e acreditam que nada de ruim acena
Um tanto de inocência ao dizer eu me engano

Amam sem mesmo serem amadas por seus pares
Escolhem amar e preencher as duas lacunas
Uma incoerência a mais neste terno ser
Mulheres resistem aos seus rompantes e vagam

As impulsividades são delas a marca registrada
Emoção a flor da pele sem contestação
Sentem que o amor verdadeiro não as definha
E fazem muito bem aos seus lindos corações