sábado, 29 de maio de 2010

Desbravando Minha Amada - Soneto

Todas as noites quando eu vou deitar
Vejo a minha amada com aquele lingerie
Sinto um prazer só em seu lado estar
Deixo tudo à meia luz para faze-la feliz

Começo a lhe tocar da cabeça aos pés
Desbravando planaltos e planícies sem fim
Beijo devagar cada canto de seu corpo
Que exalar um perfume da flor jasmim

Cada momento para nós é muito excitante
Nada ali passa de forma despercebida
O amor é feito com qualidade perseverante.

Em busca da excelência do gozo pretendida
Nos entregamos um ao outro a todo instante
Nas asas da imaginação e na fantasia permitida

Nenhum comentário: