segunda-feira, 17 de maio de 2010

Paixão Eternizada - Poesia

Homenagem a minha esposa

Ao descobrir que estava vivo comecei a me apaixonar
Tudo ao meu redor era um fascínio, o jardim, a floresta e o mar.
Os meus primeiros passos foram difíceis de dar
Aconteceu numa bela noite em que refletia o brilho do luar
Ao ver uma bela menina quando eu fui estudar
O meu coração começou mais forte a pulsar
Era uma experiência nova a se apresentar
Minha primeira paixão, mas longe de me encantar.
Mas a adolescência não demorou a chegar
E quando eu percebi já começava para vida desabrochar
O jogo do amor já me envolvia sem vacilar
Foi quando conheci aquela com quem eu iria me casar
Lembro-me daquela noite de inverno fria de gelar
Eu me sentia um galanteador ao falar
A envolvia em meus braços e não deixava de reparar
O seu belo olhar com um brilho de encantar
Nele ela mostrava um grande envolvimento ao me abraçar
Onde exalava simpatia, bom humor e sensualidade de espantar.
Sua voz suave e doce vibrava o meu coração sem parar
Trazendo a minha existência uma grande felicidade difícil de se explicar.
Eu queria algo mais, tinha que possuí-la por inteiro e sem pestanejar!
Assim como as ondas se rendem às margens no grande quebra mar
Ou mesmo as estrelas que se curvam ao ver o brilho do luar
Eu acreditei nesse amor e vi que a levaria para o altar.
Como numa eterna lua de mel a nossa paixão eu sabia que iria perpetuar
Mesmo com o passar dos anos eu ainda sou capaz de me emocionar
Choro sobre a dor ou sobre a alegria que invade o meu peito sem cessar
Choro sobre as lembranças que marcaram as nossas vidas só para desafogar.
E quanto a esse amor eu não canso de amar, amar e amar...

Um comentário:

disse...

Obrigada minha vida, te amo muito!