quarta-feira, 26 de maio de 2010

Rotina - Poesia

É chegada à aurora, a maré começa a subir,
Antes do nascer do sol, em plena alvorada,
Acordo para trabalhar, eu tomo o café às pressas,
Para minha condução poder pegar

Vejo a minha amada no crepúsculo matutino
E as mesmas coisas se repetindo
O sol nasce, começa a raiar e os pássaros emigram.
As crianças vão para escola quase dormindo

Ao chegar o meio do dia, vou almoçar.
As crianças chegam da escola, famintas
E ao matarem quem as está matando
Vão para aquele sono obrigatório de fininho

Ao cair da tarde no momento vespertino
Os pássaros que fizeram a alegria do nosso dia
Voltam em revoadas para os seus ninhos
Eles terão mais uma noite de descanso

E quanto a mim, eu chego em casa cantando.
Revejo a minha amada e a saudade eu vou matando
Vamos deitar dormir de conchinhas e descansar,
Para no novo amanhecer ver tudo recomeçar.

Nenhum comentário: