quarta-feira, 16 de junho de 2010

Poemas Curtos VIII - Trovas






Longe da minha breve solidão
Sinto meu momento mais terno
Mas quando chego perto então
Meu paraíso quer ser o inferno


Bem que você até merecia
Sofrer um pouco de paixão
seria a sanção que pagaria
Por contrariar meu coração


Amor interrompido é o amor não consumido
Amor intenso é o amor aquecido pela paixão
Amor mentiroso é o amor que foi mal resolvido
Amor ferido e o amor que faz mal ao coração


Na magia do nosso amor
Há perfeita sintonia
Te amo com muito louvor
Numa sublime Harmonia


Quando o amor com o passar dos anos se fragiliza.
E com o tempo a prática do sexo já não existe
Esse amor por ser divino se renova nesses dias,
Para resisti ao tempo e chegar inteiro na velhice


Alegria que dá prazer de viver
É aquela que o seu estado denota jovialidade
Envolve todo o nosso ser
Levando-nos a viver com sinceridade


Não tenha medo da vida
Encare as dificuldades
Não tenha medo de cair
Entrega-se a realidade


Seus dias estão difíceis
Jesus tem sempre a solução
Ele faz coisas impossíveis
Proverá para ti a provisão


Você é implacável
Só onde não presta
De juízo inflexível
Nas obras que detesta


Lutar para não chorar
Demonstra insensatez
Não se deixe enganar
Emoção não tem solidez


Ela vive sempre a sonhar
E caminha entre as nuvens
Alma ingênua só quer amar
Sem pensar nos intempéries


Provocou um furor nos pensamentos
Atiçou as mais belas fantasia
Seus desejos estão descontrolados
Pensa em viver só nessa magia


Raios rubros do sol
Paisagens ganham cores
Bela e doce manhã
Bom contemplar os amores


Lágrimas silenciosas
Ocultam sentimentos
Ingratidões alheias
No final será lamento


Solidão sentida
Lamento da ausência
Saudade infinita
Provoca resistência


A grandeza do seu belo amor,
Vejo nos seus atos pequenos...
Não lhe falta ternura, oh flor!
Quando lhe encontro, ao menos.


Te desejo, mas não te amo
Te amo, mas não te desejo
Sentimento maduro e louco?
Não sei ao certo diante do que vejo.


Um amor puro e cheio de confiança,
Estimula, aumentando a auto-estima.
Cria uma amizade como a de criança,
Entre duas ou mais pessoas distintas...


A prisão na vida da gente
Ocorre sempre na falsidade
Exercida por nós, contra nós...
Em qualquer fase ou idade


Meu amor está cansado
Sofreu o seu abandono
Renascerá noutro canto
Deste mundo adâmico

Nenhum comentário: