quarta-feira, 16 de junho de 2010

Poemas Curtos VII - Trovas

Foi maravilhoso falar com você
Te amo com todo o meu coração
Na falsidade não sei conviver
Prefiro viver só com emoção


A mulher perfeita e ideal
Tive só no meu lindo sonho
Quando eu acordei afinal
Vivi um momento tristonho


O seu castelo é muito lindo
As estrelas estão a brilhar
Estou eternamente enamorado
Quero muito a ti me ofertar


O amor é pura solução
Ou apenas razão da dor
Forte envolve o coração
Traz alegria, traz pavor!


Despreza a piedade
É grossa e agressiva
Não percebe a vaidade
Só vive na covardia


Embora imensuravel
Não foge aos olhos
O amor é inesgotável
Para jovens e velhos


Divago sem saber para onde
Você motivou esse desencontro
Agora quer voltar a fonte
Ela já secou no meu silêncio


Me calo diante da confusão
Desses sentimentos perversos
Não vejo nenhuma emoção
Neste coração desconexo


Dois corpos nus famintos
Se entrelação entre si
Alucidados e sucintos
Saciam desejos sem fim


Numa súbita visão do inesperado
A cor da paixão me hipnotizou
Olhava o lindo jardim apaixonado
No vermelho lembrei-me do meu amor


Quando crianças construímos
Nossos castelos de areia
Já adulto como sofremos
Para ter uma morada bela ou feia


Diante de ti o coração pulsa
E feliz torna tudo um encanto
Distante de ti é só repulsa
Triste fica no desencanto


A vida sempre nos oferece
Maravilhosos momentos mágicos
Mas se nós não vigiarmos
Virão vários momentos trágicos


Amar tem seus privilégios
Mas também nos aprisiona
Passam por alguns tédios
Quem sempre se apaixona


Imaginando ser teu sonho
Lhe acompanhei na noite
No abrigo frio e sozinho
Fiquei repousando triste


Na aurora vejo o dia nascer
E já fico louco a lhe esperar
Para no momento vespertino ver
Sua maravilhosa estrela brilhar


Todas as manhãs sinta-se feliz
Mais uma vez você foi abençoado
Estar vivo é o que sempre quis
Deus estará sempre ao seu lado


Anuncie ao mundo a sua felicidade
Não se cale diante do fingimento
Exclua essa trágica realidade
Não se pode disfarçar sentimento


A distância não impede o nosso amor
É irrelevante diante de sua grandeza
Longe ou perto, na alegria ou na dor
Somos indissolúveis com toda certeza


Porque choras tanto linda mulher
Não sabe usar o seu charme e beleza
Tens ternura para dar a quem vier
És semelhante a cidade de Veneza

Nenhum comentário: