sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Sexo frágil - Poesia (humor)

Queria entender,
O tal sexo frágil.
No faça como quiser,
Sou sempre ameaçado...
Você vai me pagar,
E muito caro por isso!
Nesta eu dancei,
Não sei mais o que faço...
Quando diz que sim,
Sua tradução é sempre não.
Precisamos conversar...
Vai querer falar de mim,
E sem nenhuma razão...
Busca alguns argumentos,
Eu sem saber dar explicação.
Ao dizer não estar chateada,
Mostra-se como um vulcão,
Tornando a relação conturbada!
Neste vai e vem sem emoção.
A casa de filhos vai se enchendo...
As contas não param de chegar,
Essa mulher eu não entendo.
Parece nas finanças me amarrar...
Não concorda em nada comigo,
Mas como fugir, nem pensar!
A maldita vem atrás aos gritos...
Dessa eu não vou me livrar!
Na troca de roupa, continua gorda...
Mas quer amor na velocidade do créu.
Essa mulher não fecha a boca,
E só faz amor no breu...
Então, eu fico só no canto a pensar...
O que será que eu fiz pra Deus!

Nenhum comentário: