segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Melhor Negócio - Poesia

Às vezes penso como é bom ser amado,
Mas amar é melhor ainda!
Às vezes penso na sinceridade que gosto,
E não na perfeição, ela não existe!
Às vezes penso em deixar as pessoas mais felizes
E nunca lhes provocar dores!
Às vezes penso nas ingratidões sofridas,
Elas doem mais do que as simples traições!
Às vezes penso o quanto fui ingênuo em alguns momentos da vida,
Por tentar amar quem não queria o meu amor,
Por perdoar quem não queria o meu o perdão.
Importava-me enquanto os outros não estavam, nem aí!
Quantas vezes eu me aproximei de pessoas,
Que não me queriam por perto.
Quantas vezes eu abracei, pulei e sorri,
Junto a pessoas que fingiam me amar.
Confesso também ter agido errado com pessoas do bem,
E ter sido generoso com quem não merecia.
Confesso meus dissabores e minhas tristezas,
Provocadas pelas ações dessas gentes frias...
Confesso não ter sido legal nas horas certas,
E tentar buscar soluções nas horas incertas...
Confesso sentir um clima de estranheza,
Onde deveria me sentir em casa!
Naturalmente os meus olhos agiam como espelhos...
Eles refletiam tudo o que eu pensava e desejava em alguns momentos
E muitos ao perceberem me ignoravam.
Cheguei a pensar, que se alguém me mostrasse o amor;
Eu não seria digno dele, e por isso muitas vezes quebrei a cara.
Aprender da maneira errada, fez-me mais tarde agir da mesma forma que eles...
Quanto às incertezas da vida, elas causam um misto de sentimentos,
A loucura, a ternura, as coisas sensatas e inexatas provocam um furor danado!
Contudo, acordei a tempo e vi que o amor ainda existe.
E todos são dignos desse amor, e amar é o melhor negócio.

Nenhum comentário: