quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Segredos - Soneto

Segredos de uma vida
Deixa o homem tedioso
Ele guarda na memória
Um ato vergonhoso

Na luta pelo seu ideal
Às vezes ele tropeça
Cria inimizades sem igual
Mesmo assim não confessa

Não ouve e nem se detém
Para não se deixar levar
Pois alguns não o querem bem

Mas faz parte de sua vida
Praticar sempre os atos bons
Retirando assim toda carga escondida

Nenhum comentário: