domingo, 3 de outubro de 2010

Cheia de Tesão - Poesia

Que martírio!
Sensualidade aflorada...
Que infortúnio!
Em casa só e desesperada...

Cheia de tesão,
Esfregando-se na cama...
Com o telefone na mão,
Mas, sem possibilidade de transa.

Porque não ligou para mim,
Iria correndo saciar os seus desejos.
Na próxima vez não sofra assim,
Me chame para te pegar de jeito.

Nenhum comentário: