quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Mortes Sociais - Rondel

Todos os dias morrem-se um pouco
Pela crueldade de uma vida corrida
Mãos consumidoras que deixa louco
Pedidos de uma vontade adquirida

Produto difícil pra se ganhar a vida
O filho que só pensa em ter o troco
Todos os dias morrem-se um pouco
Pela crueldade de uma vida corrida

Cada assassinato que na vida ouço
Perco-me em porção na paz sofrida
Frutos de uma sociedade só de louco
É selvagem essa tecnologia perdida
Todos os dias morrem-se um pouco

Nenhum comentário: