terça-feira, 23 de novembro de 2010

Triste Herança - Soneto

Sinto-me preso a conceitos antigos,
Aos costumes de outras gerações,
A fatos consumados por egoísmo,
Princípios ou simples acomodação...

A sociedade muda, eu não mudo.
Ficam tolerantes as várias mudanças...
Eu torno-me um intransigente no mundo,
Tenho meus princípios como herança.

Será que são os meus medos a aflorar?
Minhas entranhas fazem coisas estranhas,
Levando-me a realidade não aceitar.

O novo vem somente para me assustar.
Faz parte de mim ser assim - O que fazer?
Triste herança. Agora só me resta mudar.

Nenhum comentário: