terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Infelicidade - Soneto

A infelicidade aos poucos
Envelhece as almas dos jovens
Levando-os a viverem como loucos
Sem esperanças de atitudes nobres

O consolo das almas infelizes
É ter amigos nesta desventura
Unem-se aos outros tristes
Juntos reclamam da vida dura

Normalmente querem o mal dos outros
Consolam-se na infelicidade alheia
Suas vidas tristes lhe fazem de bobos...

Vivem infelizes - Acham mais fácil.
Embriagados no amargo da infelicidade,
Entrega os pontos - Ação frágil...

Nenhum comentário: