domingo, 13 de fevereiro de 2011

Renúncia - Poesia

Ao amar se renúncia a muitas coisas
Todos exigem para si exclusividade
Como é difícil viver sem perspectivas
Atraído pela juventude cheia de vaidade

Momentos de romantismo e possessão
Que com o tempo traz grande sofrimento
O jovem mistura dentro dele emoção
Pelas várias situações acontecendo

O vermelho da paixão lhe contagia
Perde a razão no pulsar das veias
Guarda cada palavra doce dita
Sofre com as decepções alheias

Seus atos insanos não são perdoados
Seja por amor ou somente ato
Os jovens vivem atordoados
Renunciam a tudo por um amor desejado

Nenhum comentário: