domingo, 8 de maio de 2011

Seios Vazios - Poesia

Dia das mães, saudades eternas!
Quem perde um filho morre um pouquinho.
Amaram demais e sempre foram ternas,
Com suas crias que viraram anjinhos...

Guerreiras elas são, sofreram caladas.
Não esperavam perdê-los, precoce solidão.
Seus filhos se foram na violência instalada,
Vítimas de um louco sem compaixão.

Breves momentos marcaram suas vidas,
Realengo para sempre será lembrada.
Estão com Jesus que recolheu para si,
Lindas crianças para sempre amadas.

Seus seios vazios por só um período,
A vida não acaba aqui nesta terra,
A multidão triste assistiu tudo aquilo,
Mas no céu Deus anotou na seara.

Data antes querida sofreu forte impacto,
Não tem mais suas crias subiram ao céu,
Deus conforta esses corações no seu ato,
Porém, um dia em Cristo irão se encontrar.

2 comentários:

SIMONE PRADO disse...

Choramos junto com elas, numa só dor eterna, assim como Raquel - Ouve-se em Ramá uma voz, lamentos e amargos soluços. É Raquel que chora os filhos, recusando ser consolada, porque já não existem."
(Jeremias-31v15). Lindo amigo!

MARILENE disse...

Fez uma linda homenagem. A tristeza vai permanecer por longo tempo no coração daquelas mães, senão eternamente.

Djalma

Se você me dedicar seu voto na eleição do "blog da semana", criado pelo Will, ficarei feliz. Aliás, só a indicação da Van (RETALHOS DO QUE SOU) já me alegrou bastante.A votação se inicia em 14/05/2011 às 12:00 HORAS e ficará aberta até o dia 21/05/2011 no BLOG DO SUPER WILL http://wwwwillblog.blogspot.com, idealizador do Selo.

Obrigada

(umcanto-recantodaalma.blogspot.com)