domingo, 20 de novembro de 2011

Camada de Ozônio - Poesia

Quando tento me esconder de minha dura realidade,
Percebo estar indo à contra-mão do bom senso.
Eu sei que estou errado, apesar da pouca idade.
Até porque, só vence quem transforma sonhos em objetivos...
Como a camada de ozônio que envolve o planeta Terra
E ao ser afetada permite a entrada dos raios ultravioletas,
Assim aos trancos e barrancos e na mais pura existência,
Eu vou à minha breve caminhada, sempre tentando...
Na busca de uma vida de excelência onde não há espaço
Para aquelas meninices que insistem em me desafiar...
Tento amadurecer todos os dias e em cada passo dado
Pensando que nesta corrida desenfreada eu não posso falhar!
Ao redor vejo pessoas com os mesmos sonhos que o meu
E como sofrem e se desgastam sem ver a vitória final.
Ninguém próximo a mim cruza a linha de chegada,
Para servirem de exemplos para sua posteridade, assim como eu!
Sabendo que não tenho espelho para refletir as coisas boas,
Deslizo em alguns instantes entre os meus devaneios...
A luta é incansável, é inglória..., e também falta apoio...
Mas como um grande brasileiro, não desisto nunca!

Um comentário:

Isis Dumont disse...

Aplausos pela coragem, persistência e nobreza de caráter, que, mesmo sem te conhecer pessoalmente, penso que tenho idealizado o teu melhor retrato, aquele que revela as tuas melhores qualidades. Para mim, caráter vem primeiro, depois a beleza física. Adoro milhões tuas sábias palavras, teus versos de amor ou de realidades. Beijosde verãonordestino!