quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Utopia - Poesia

Numa avalanche de sonhos contínuos,
Minhas emoções me impulsionam por dentro.
Fico estarrecido por sonhar alto,
E na vida nada concretizar!
Na vontade impetuosa de realizar,
Tão doces sonhos nas noites vivenciados...
Confesso que também sonho acordado,
Não posso rejeitar a minha sensibilidade aflorada.
Utopia, ação platônica ou simples sonhos altos,
Não sei! Mas escorrem como calda em minhas mãos...
A triste certeza do inalcançável desejo,
Gera argumentos para aliviar o sofrimento.
Penso na perfeição para atingir os objetivos,
Sorrio até para quem me vê como inimigo.
Mas, dói pensar que nunca acertarei pra valer...
Palavras ditas ou mesmo escritas,
Jamais serão apreciadas!
Admiro muito os que vencem sem sonhar...
Mas como negar que sou um sensível sonhador.
Lamento os meus sonhos nunca se realizarem,
Acho que Deus não os tinham em seus planos.

4 comentários:

Aparecida Ramos disse...

Olá, Djalma, com sua permissão faço minhas as suas palavras. Parece que fui eu quem escreveu!
Parabéns por expressar em belos e emocionantes versos tua aflorada sensibilidade.
Beijosssssss de bom final de tarde!
Isis...

Fátima disse...

Oi Djalma,
Bem vindo a consciência adulta tipicamente humana..rs.
Sonho porque é inerente, no mais amigo, deixo que Deus se encarregue de tudo, nunca realizo os planos que traço. Coisa de gente isso.

E estamos sim, nos planos Dele, o "q" é que nunca são os nossos.

Beijo meu

CONCERTO DE LEITURA & CIA disse...

Caro amigo, sua utopia poética é compartilhada com muitos outros colegas que escrevem. Se não sonharmos que graça teria a vida? Muito bom! Abraço do Gonçalves.

Caça vazamento - Local Vazamento disse...

Muito bom o blog. Gostaria de convidar a todos para tirar todas as suas dúvidas em relação a hidráulica direcionado para o consumidor.
Informações e notícias você terá aqui.
Caça vazamentos - encanador - caça vazamento