sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A Morte do Avatar! - Poesia

A vida de encanto e desencanto,
Fazem de nós vítimas diárias...
Neste mundo louco que estamos,
Morremos um pouco em cada área.

As dores provocadas pelas perdas,
Fazem de nós presas fáceis nas batalhas.
É saudade ou amor sem sorte...
Quanto sofrer espalhado pela cidade.

De tanto que sofremos entre os dias,
Não sobra muito para enterrar...
Cada ser morre um pouco a cada dia,
E a morte não tem mais o que matar...

A vida acumula mais perdas que ganho,
Sinto-me no lucro quando consigo amar!
Momentos felizes são importantes,
Para frustrar a morte do meu Avatar!

3 comentários:

LEANDRO CHH disse...

Oi Djalma, gostei muito do seu blog . Parabéns por essa excelente iniciativa! Fico feliz toda vez que encontro um trabalho legal como o seu no Poesias Diversas.
Encontrei muitas coisas legais aqui, já estou seguindo seu trabalho e estarei aqui sempre que possível.
Vou deixar um convite para conhecer o meu blog o endereço é http://www.construindohistoriahoje.blogspot.com nele eu abordo estudos voltados para história geral, paleontologia, arqueologia, política, atualidades, personalidades da história,espiritualidade, psicologia das massas, poemas épicos dentre outros assuntos.
Abraços,
Leandro CHH

"Julgue seu sucesso pelas coisas que você teve que renunciar para conseguir."
Dalai Lama

Mariana Penna disse...

Olá, obrigada pelo carinho no meu blog.

Bjão e bom domingo!!

Elzinha disse...

Olá Djalma,
Obrigada pela visita e pela chance de poder conhecer o teu blog. Já passeei por aqui e voltarei sempre. Gosto do que escreve e como escreve. "Sinto-me no lucro quando consigo amar!" PERFEITO!! Temos que manter vivo o nosso Avatar, alimentando-o só do que é do bem.
Grande abraço