sábado, 18 de fevereiro de 2012

Pão de Amor - Poesia

Na busca frenética do desconhecido
Deixei os meus defeitos amostra.
No outro lado estava você sorrindo,
Na incansável amizade que me devota.

Senti que precisava ver algo impossível,
Numa relação de novos valores com a vida.
Era uma provocação do alto me afligindo,
Para que eu saísse da inércia, e agora!

Esse meu incomodo era um toque especial,
Divino e bem suave que alimenta a minha fé.
Trazia a paz impossível a todos os homens
Você está lá e cá, mas sempre presente!

Eu não sabia que o sentimento instalado,
Era uma resposta as constantes orações.
Presença pura eu testemunhava neste momento,
Fruto do toque Santo dentro do meu coração.

Agora aprendi a repartir o pão de amor,
E no silêncio preparo outros corações.
Digo ao Pai Celestial que os toquem com louvor,
Através dos cantos e das minhas petições...

3 comentários:

Tandorí Tiamat disse...

Olá, Djalma!
Passei pra retribuir sua visita e, quando cheguei aqui fiquei encantada!
Amei seu blog... seus poemas...
Tudo muito lindo!!
Obrigada por seguir meu blog e parabéns pelo talento...
Poesia é a capacidade de "traduzir" o mundo em Arte!
Adorei!!
Bjos.

Aparecida Ramos disse...

Esse é o Pão Verdadeiro que não deveria faltar em nenhuma "casa"... Adorei, poeta! Beijos, com saudades...

fêrlyvictoria disse...

Oi Parabens pelas envolventes poesias
Passando&seeguindo. Beijiinhos :*
@per_feitosparaoamor
@ferly_victoria
http://reverseobrlife.blogspot.com/