sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Tédio - Soneto

Em contratempos que levam ao tédio,
Vou trilhando infeliz o mau caminho.
Não sei ao certo se esse é o remédio,
Nesta desventura não ando sozinho.

Essa mesmice que assola todo meu ser,
Faz de mim um tolo numa triste solidão.
Não sei mais diferenciar o ser do ter,
Vivo intensamente o perigo da exclusão.

Como provar o sabor do fruto do amor,
Se não me permito viver em comunhão.
Penso na mordida que traz grande dor,
Esquecendo do amor maior no coração.

A felicidade é um sentimento possível,
Mas não basta acreditar, precisa emoção!

6 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Djalma, meu amigo, o amor é capaz de nos tornar santos...Um beijo de carinho!

Will disse...

Excelente rima,

um movimento de querer maravilhoso.

Um abraço!

Artes sem fronteiras disse...

Muito nos honra e vosso trabalho é é espetacular.
Nossos agradecimentos

Sopa de Letrinhas da Leninha disse...

Vamos descortinar este céu de nuvens escuras com um belo sorriso,
irradiar assim o novo dia!... e assim, curar o tédio, dando a vida mais cor e superAção!... Abraços

Centelha Luminosa disse...

Perambulando ou navegando nessa madrugada insone, encontrei teu Blogue...Que achado meu Deus!

E, você tem toda a razão e muita sabedoria: a felicidade precisa de emoção...quase que viceral!

E, se um poema não provoca um remexer na gente, também não serve pra nada...O teu soneto, remexeu em alguma coisa aqui em mim. Que bom!

Final de semana com muitas alegrias pra todos nós...

Abraços...

Aparecida Ramos disse...

"A felicidade é um sentimento possível,
Mas não basta acreditar, precisa emoção!"... Versos bem verdadeiros, poeta, sem emoção fica quase impossível senti-se feliz! Parabéns...
Beijos carinhosos, com saudades...
Isis...