sexta-feira, 9 de março de 2012

E agora meu Pai? - Prosa Poética


E agora meu Pai Celestial, o que eu faço diante de tanta malignidade? Estão querendo calar a voz do seu povo, os chamando de religiosos e fundamentalistas...!

A onda agora é liberar... é amar sem justiça... é rasgar a verdade da sua palavra junto à constituição da nação, como se assim fosse possível...!

O absoluto não vale mais, diante do relativismo atual praticado... a verdade sofre frente à mentira... e seu povo foi colocado entre os culpados por não admitir o falso amor, aquele que não renúncia...!

Os hipócritas chamam os santos de preconceituosos... adoram o sincretismo e o ecumenismo, ferindo assim a sua glória...!

Dizem por aí, que o seu filho era adepto do marxismo, mesmo tendo vindo antes ao mundo... dizem que a sua mensagem era de esquerda, contrariando a mensagem de Paulo, que era de direita... um absurdo!!!

Loucos, não sabem o que fazem... maldito século vinte e um... querem arrancar a fé do seu povo, criando um mito em torno de seu filho, o chamando apenas de Jesus histórico...!

São tantas as aberrações que eu tenho ouvido... são tantos ignorantes parecendo sábios... são tantas mentiras em evidência...!

São tantos meu Pai.

3 comentários:

Aparecida Ramos disse...

E o pior é saber que os que não concordam com aqueles que falam, apregoam e vivem em meio à tamanhas aberrações, tem que suportar a presença dos mesmos ou no mínimo ouvi-los em alguns momentos. Aplausos, querido por seu desabafo neste TEXTO/ORAÇÃO! Beijos carinhosos pra ti, poeta.

Vera Lúcia disse...

Olá Djalma,

É um prazer recebê-lo em meu recanto.

Dei uma olhada em seu blog e gostei muito do que li por aqui.

Você se expressa muito bem e escreve lindamente.

Diante da malignidade temos que exemplificar com o bem e manter a fé em Deus.
Não creio que uma fé raciocinada seja capaz de ser abalada por falsas pregações.

ótimo e intenso texto.

Abraço.

Will disse...

Oi Djalma,

Um desabafo sincero, posto de forma poética.

Excelente!

Um abraço!