domingo, 5 de agosto de 2012

Confuso - Poesia

Ao tentar a sua felicidade, você se embriaga...
Quando a busca em pessoas, nos exteriores!
É fato culpar aos outros a sua falta de gentileza,
Quando você deveria procurar ser mais gentil.

A objeção externada aos sentimentos alheios,
Mostra existir um desvio de conduta gravíssimo.
Patologia absurda, sem ao menos avisar, já veio!
Triste desconfiança que o aflige, falta-lhe saúde.

Não é a intensidade dos seus fracos sentimentos,
Que o elevará a condição de um homem superior.
A duração da verdadeira sensação gera aptidão...
E torna o simples ser, em alguém que supera a dor.

Confuso na pequena porção de prazer que o basta,
Não sabe como fazer a sua vida mais agradável!
O homem que não pensa não consegue encontrar...
A própria razão de sua existência na terra afável!

4 comentários:

Rita disse...

Apesar de Confuso eu adorei o
poema muito bom, lendo e gostando sempre
Deixo um abraço carinhoso
Bjuss
Rita!!!!

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, sejamos então gentis, claros e pensadores e encontremos os caminhos mais certos! Singular! Abraçososs

Suellen Lyra disse...

Olá, amei o seu blog, digamos que é uma das coisas que mais gosto..poesias... tenho o prazer de está participando do seu blog e gostaria de te convidar para visitar o meu www.100jesusproibido.blogspot.com abraços Deus te abençõe

Valéria Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.