sábado, 4 de agosto de 2012

Reinventar - Poesia

Quero reinventar os meus dias,
Inventar um amor inocente.
Uma fé que todos entendam,
Uma vida que nos deixe contente!

Quero sair do previsível,
Inventar momentos obscuros.
Sair por aí, dizendo absurdos...
E no final não ser entendido.

Quero me render ao improvável,
Mas sem machucar o medroso.
Sentir aquilo que não presta,
Com jeito irresponsável e carinhoso.

Quero agir de forma desajeitada,
Alçar pequenos vôos, mas sem esperança...
Só não quero é ser julgado,
Por tentar fazer tudo diferente.

4 comentários:

»♥«Nati Caetano»♥» disse...

Boa Noite, Djalma
Cheguei primeiro! Sair do previsível, inventar momentos obscuros, muitas vezes algumas pessoas não vão entender.Te digo uma coisa, eu nem ligo os que os outros vão pensar, o que importa é a nossa consciência.E inventar um Amor inocente, nos dias atuais, na minha opinião, esse tipo de Amor está se deteriorando.
Gostei imensamente da sua poesia. Bjs e um bom final de semana

Suelen Muniz disse...

Engraçado que quando saímos do que é previsível somos olhado de um modo diferente.
Mas o bom da vida é esse eterno reinventar.
Uma ótima semana Djalma,abraço,=)

Janice Adja disse...

"...Alçar pequenos vôos, mas sem esperanças..." ?
Este poema grita por esperança.
Beijos!!!!
Gostei dos teus poemas.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Tão bom quando saímos por aí nas asas da poesia.
Parabésn pelo seu espaço.
abraço
cvb