segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O Vendaval - Prosa Poética


Um vento muito estranho desmontava o castelo de areia... provocava uma avalanche de tristeza... e mudava constantemente a paisagem do local...!

Apagava as pegadas do caminhante, que em vão buscava uma saída para os seus problemas... vivendo assim, ele não tinha mais memória do tempo e o futuro que estava por vir não lhe interessava muito... nem se quer pensava em desgastar a mente imaginando...!

Quantas vezes nos sentimos assim, sem saída... não sabendo para que lado olhar em busca de ajuda... o vendaval apaga o passado e esconde a visão de futuro...!

O forte vento move as ondas do pensamento, revira o barco da segurança, o rebuscando sempre, querendo ver o que pode destruir...!

Os tesouros acumulados pelo tempo em nossas memórias correm sérios riscos de se perderem... e assim nos transformamos em mortos vivos, sem nada plausível...!

Mudar enquanto há tempo é preciso... fazer silêncio, tornou-se importante para ouvir a voz da razão, e assim saber que direção deve-se seguir...!

Devemos buscar esquecer as tormentas que tentam levar os nossos pensamentos e ações a uma condição de inconsequência... devemos ignorar as condições do tempo, sabendo que logo virá aquela brisa maravilhosa...!

Ao sentir a leveza do vento em calmaria, o tempo mostrará que a tempestade passou, a noite já se foi... os raios solares junto a brisa gostosa da manhã seguinte mostrará que não estamos à sós. Há alguém muito especial cuidando de cada um de nós...!

Conheça o amor para não renunciá-lo... busque sabedoria para crescer na vida... o impossível é possível a quem crê...!

Seja tudo o que você não foi, num tempo que não era para ser.

4 comentários:

Sónia M. disse...

E é no silêncio que acontecem as melhores conversas...


Bom inicio de semana Djalma!

O meu abraço
Sónia

Lucinalva disse...

Olá Djalma
Que linda mensagem!! Gostei da frase: "Há alguém muito especial cuidando de cada um de nós." Recebo essa palavra como recado de Deus nesta manhã. Um forte abraço.

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, bom estar aki novamente conferindo suas reflexões e refletindo com elas, as tempestades muitas vezes nos deixam cegos e desmemoriados, esquecemos de tudo de bom que vivemos antes delas e achamos que tudo está perdido, é preciso muita calma nesta hora p não fazer de uma tempestade uma Tsunami e colocar tudo a perder! A Calmaria sempre volta de um jeito ou de outro! Abraçossssss

Rosa Viñas disse...

Me gusta mucho Djalma.

Un saludo