sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Lágrimas - Poesia

As lágrimas
Resultam da tristeza
Uma expressão de dor
Provocadas na alegria
Mostram bom humor
Algumas engolidas
As mais doloridas
São como cristais
Pérolas perdidas
Orvalho da noite
Que rolam das flores
Elas comovem
Elas libertam
Elas enganam
Elas despertam
Lavam a alma
Trazem-nos a calma
Antecipam o sorriso
Um sonho perdido
E não tem cor
Nem tão pouco odor
Expressam o horror
E regam o amor
Fruto da decepção
Inspiram a saudade
Tocam o coração
Chora-se por vaidade
Demonstram paixão
E não tem idade
Podem ser quentes
E silenciosas
Tem sempre quem finge
Mas todos choram
As lágrimas são
Apenas refugio
De todas as mentes

6 comentários:

Sónia M. disse...

Belo o seu poema!
Bom fim de semana...sem lágrimas...

Com carinho,
Sónia

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, antes de mais nada pode copiar as fotos de flores e qualquer outra do blog sem problemas, fique a vontade! Qto as lágrimas, são necessárias, são libertadoras como vc disse, embora eu chore de tristeza e de saudades eu tbém costumo chorar muito de alegria tbém rsrs abraçosss

»♥«Nati Caetano»♥» disse...

OLá querido amigo Djalma! Você é rápido para postar, mal volto no meu blog, e tem mais uma linda poesia.

Lágrima de tristeza,
pode ser também de alegria, e quando há uma decepção haja dor, parecem diamantes fragmentados no olhar que chora.

A que postei hoje tem uma semelhança com a sua, em outro aspecto

Abraços, bom Fds

Lucinalva disse...

Olá Djalma

Também costumo chorar muito de alegria, mas sabemos que quando a tristeza é grande as lágrimas aparecem. Belo poema. Procurei o selo que você indicou no blog de Janice Adja e não encontrei, é o mesmo que tem no seu blog da Torre Eiffel?? Se for copiarei do seu blog ok? Tenha um excelente final de semana. Um forte abraço.

Valéria Souza disse...

Lágrimas são resultantes de sentimentos que se encontram no mais recôndito do nosso ser e que precisam ser liberadas para desafogarmos, sejam quais forem as emoções. Tenha uma boa noite e parabéns pelo belo poema.

Rosa Viñas disse...

Un poema bellísimo.
Saludos