sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Desperdício - Prosa Poética


Desperdiço parte da minha vida, quando me recuso a distribuir amor por onde ando... o medo contribui para esse enclausurar de emoções... aí, fico cheio, inchado e nada mais...!

Desperdiço parte da minha vida, quando não uso das forças interiores existentes em mim, prontas para me solidarizar com o próximo... aí, sinto que vou explodir de tanta energia acumulada...!

Desperdiço parte da minha vida, quando uso de uma prudência desmedida, por não querer arriscar e me dar mal em algumas situações, que só faria bem a quem precisa... aí, torno-me um inoperante...!

Desperdiço parte da minha vida, quando me esquivo do sofrimento alheio, só para não me envolver... aí, percebo o quão pequeno e covarde sou...!

Desperdiço parte da minha vida, quando ajo com imprudência nos assuntos mais delicados que se apresentam diante de mim... ai, vejo o quanto sou inconsequente...!

Desperdiço parte da minha vida, quando endureço o meu coração para as coisas mais simples como a natureza ou uma criança querendo colo... aí, convivo com uma rigidez desnecessária...!

Desperdiço parte da minha vida, quando ignoro a presença divina perto de mim, chamando-me para um relacionamento mais estreito... aí, não resta mais nada dessa minha vida inútil...!

No egoísmo a minha vida vai morrendo aos poucos, em cada ação de amor não realizada... aí, entendo que mesmo vivo não tem mais nada para morrer em mim...!

É nesta hora que a misericórdia divina me alcança... nos momentos mais sombrios entendo que não estou sozinho e que todos são especiais para o Pai Celestial...!

É um aprendizado constante viver bem com o próximo... viver em união e solidariedade faz bem... nisto eu vejo tudo em minha vida mudar...!

Vejo que é necessário viver intensamente, tantos nos bons momentos como nos ruins... aí, sinto o meu crescimento e um ânimo renovado...!

Vejo também a necessidade de distribuir um amor fraternal... daí, uso as forças interiores existentes em mim, para me solidarizar com o próximo...!

Vejo assim a necessidade de arriscar mais para fazer o bem a quem precisa, sem me esquivar do sofrimento alheio para não fugir da obra que Deus colocou em minhas mãos...!

Agora sei, que onde existia o orgulho sobra humildade... onde existia a soberba sobra amor... onde existia desinteresse sobra vontade... nisto, descarrego todas as minhas energias e sempre sou recompensado...!

Agora, não desperdiço mais a minha vida.... agora amo sem interesse algum... agora recuperei as minhas partes perdidas... agora aquele que morria aos poucos nele em tudo sobra vida... vida em abundância.

Um comentário:

Lucinalva disse...

Olá Djalma
Profunda mensagem. Gostei desta parte: "Vejo a necessidade de arriscar mais para fazer o bem a quem precisa, sem me esquivar do sofrimento alheio para não fugir da obra que Deus colocou em minhas mãos...!" Parabéns por compartilhar aquilo que o Senhor colocou no teu coração. Um forte abraço.