sexta-feira, 21 de junho de 2013

Preconceito - Poesia

Porque não olha para o seu umbigo?
Não enxerga um palmo além do nariz.
Não fique triste porque eu lhe digo,
É muito ruim esquadrinhar o infeliz!

A análise de um momento ruim,
Não pode ser determinante na vida.
Pessoas erram e acertam também,
Mas o caráter é maior do que isso.

Não busque sempre o culpado,
Onde se pode tudo consertar...
Ninguém vive errando de fato,
Só para a sua atenção chamar!

Uma frágil queda na infância,
É como uma topada adulta.
As duas lhe jogam para frente,
E sem você querer lhe machucam.

Um comentário:

Ateliê Tribo de Judá disse...

As marcas que ficam podem não ser apagadas nem tão pouco esquecidas, marca toda uma vida, que bem poderia ser diferente apenas sem o tal preconceito .
beijos
Joelma