terça-feira, 6 de agosto de 2013

O Triste “Fim” de Arlindo - Mensagem de Texto


Arlindo era um negrinho com pouco mais de um metro e meio de estatura, era um rapaz fogoso que gostava bastante de pagode.  Todas as segundas feiras quando ia para o trabalho a rapaziada já o aguardava ansiosa para ouvir as suas histórias, e não aguardavam em vão, pois ele sempre tinha muito que contar. Lindinho,como gostava de ser chamado, num determinado dia chegou contando que estava numa grande escola de samba, que fica no outro lado do valão carioca. Lá, já chegou cantando todas as mulheres que se apresentavam a sua frente, ele não se importava se estavam sós ou acompanhadas, se preta ou loira, alta ou baixa, o que importava era ser mulher.

Tinha como termômetro tudo o que pudesse ser considerado como vitória ou derrota, um simples beijo já era contado como vitória. Neste dia na escola de samba, de tanto que cantou a mulherada acabou a sua noite triste, sozinho e jogado num canto qualquer da calçada, totalmente alcoolizado. Quando acordou estava sendo lambido no rosto por um cachorro do tipo vira lata. Ao se dar conta que havia sido roubado por um grupo de desocupados no decorrer da madrugada, ficou furioso e prometeu se vingar. Mas as suas andanças não o deixava ter um tempo para correr atrás do seu prejuízo. Segundo ele, a mulherada não dava um espaço para que pudesse cuidar das outras coisas que não fossem satisfazê-las. Daí, preferiu esquecer o prejuízo daquela noite, retomando a sua vida de galanteios.

Lembro-me de que numa determinada noite, Lindinho disse que estava cansado de gandaia e que iria buscar a mulher da sua vida, a cara metade que não achara, até então. O cara partiu feroz na certeza que naquela noite iria consegui-la.

Logo ele, dom Ruam do pedaço, pensava de como fazer para diferenciar uma da outra já que onde anda só tem periguetes. Por tudo isso, ele escolheu uma estratégia que achava que daria certo. Começou sem mexer com ninguém até ter a certeza de que a mulher estava sozinha naquela noite, depois começou com os galanteios sem muita ousadia, até que conseguiu uma linda morena. Ele a convenceu que ela teria um futuro maravilhoso do lado dele, só que ele não sabia que a mesma estava brigada com o seu violento noivo, que ao vê-los juntos não titubeou e matou o casal recém-formado na hora. Ele levou três tiros à queima roupa. Isso seria um grave acontecimento se não estivesse sendo contado pelo agora “contador de história” Arlindo, que morreu no final dessa história. 

Nenhum comentário: