segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Pobre de Espírito - Poesia

Lava-nos os pés sem orgulho,
Quebre toda altivez!
Perceba que a vida é um muro,
Ou ponte, só depende de você!
Os desalinhos da vida não podem destruir,
Tudo o que o Senhor fez com amor.
Escravidão é não poder sair,
Das mais diversas imposições...
O privilégio de sorrir,
O direito de amar,
São sentimentos que um dia eu vi,
O Pai celestial derramar...
Viva o perdão,
Ele enriquece o coração,
Abandone a solidão,
Ela é só sofreguidão!
Escolha ser pobre de espírito,
E não rico de orgulho. 

Um comentário:

Gonçalves Reis disse...

Meu amigo como vai? Sempre acompanho seus poemas e esse não teve como não comentar. Magnífico! Um sermão e tanto! Abraço do Gonçalves;