terça-feira, 19 de novembro de 2013

Noite Fria - Poesia

Ao cair da noite começa a serenar
O vento frio provoca arrepios
A lua se apresenta para encantar
E as luzes das cidades se acendem

No escuro os casais se aproximam
Noites frias mas quentes na emoção
Os olhares apaixonados se encontram
Começam a se acelerar os corações

A memória traz a tona o meu passado
Carícias sentidas nas noites de inverno
O côncavo e convexo nos momentos ternos
Saudade que morre a cada novo encontro

Ao cair da noite sinto o orvalho
A fome incomoda por volta das seis
Vontade de chegar em casa já cansado
Momento vespertino com bela solidez

Já na madrugada me assanho todo
Como a dança da garça me apresento
A longa noite fica bem aquecida
Em nossos movimentos serenos 

Um comentário:

LENAPENA disse...

Bom dia, Djalma. Prazer vir conhecer seu blog, e ler suas poesias, que já conheço do Recanto das Letras.
Quero agradecer muito, sua gentil visita ao meu Blog e seu comentário. Volte sempre será um prazer receber sua visita.