sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

O Invejoso - Poesia

Quando eu me preocupo em demasia com o que diz
Imagino estar sofrendo alguma perseguição
Mas se eu analisar os meus maus passos também
Vejo que encho a mente desse inimigo de razão

A boca fala coisas que o coração está cheio
E o contrário quer sempre me ver pelo avesso
Contudo não fico como ele deseja me ver
E ao deitar eu durmo o sono dos justos

Quer saber da minha vida vai perguntar ao Obama
Ou se for a contramão da dignidade vai à macumba
Na sua dor de cotovelo eu cresço em demasia
Na sua dor de cotovelo você triste definha

Eu não tenho nada além daquilo que posso ter
E você com o seu veneno pelas costas quer me ver
A única diferença é que acredito demais em Deus
Enquanto você a alma ao diabo já vendeu

Um comentário:

LENAPENA disse...

Ah, como creio que: "A boca fala do que o coração está cheio". é como repetia minha vó: "Cada um somente oferece daquilo que tem. Linda poesia. Uma boa noite a vc, Djalma