sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

O Pessimista - Mensagem de texto



Esse ano vai ser maravilhoso, teremos novamente todas as festas que já temos conhecimento, acrescida da copa do mundo e das eleições presidenciais. Tudo indica que teremos muito barulho por aqui. Serão as vadias sem propósito algum, os gays com suas mazelas, pastores políticos fazendo alianças duvidosas, blak blocs perturbando a ordem e os turistas perdidos que nem cego em tiroteio. Esse ano tem tudo pra dar errado, a seleção ficando pelo caminho, o dólar em alta, o desemprego assustando as famílias brasileiras, a inflação de volta, os velhos discursos, o tomate e o chuchu dando o que falar os comunistas disfarçados de médicos, os rolezinhos sendo aprovados pelo congresso enquanto o otimismo de um governo populista se mantém em alta. Esse ano vai ser um caos, o Flamengo sendo campeão carioca, o Corinthians brasileiro e a Beija Flor de Nilópolis campeã do carnaval, tudo isso com ajuda da rede globo, tudo isso só para enganar os bobos! Mas ainda há tempo para mudar, as redes sociais são a saída para uma nova esperança, com ela os jovens podem a tudo repudiar, não assistir mais a globo, não ir aos estádios, não curtir o carnaval na avenida, votar contra tudo o que não presta e fazer o pacífico barulho pelas ruas exigindo mudanças. Poderão estudar bastante contrariando a vontade desses políticos que contam com a ignorância da maioria, lembrar-se do passado recente, já que os políticos pensam que o povo sofre de amnésia. O povo foi para as ruas e os políticos o enganaram, fingiram fazer a vontade da massa, mas no final foi só engodo. Na educação foi uma luta contra a má vontade do governo em aprovar um texto de interesse da massa, na saúde foi só maquiagem, os aposentados ganharam ferro outra vez e os tributos aumentaram. A PEC 37 foi derrubada no calor das manifestações, senão eles já teriam aprovado ela, junto à mexida pretendida na lei da ficha limpa para continuarem no poder, mesmo praticando crimes contra a nação e o povo. Entra ano e sai ano, eu continuo pessimista, mas a vida eu vou levando sem querer desse governo depender. Não sou marajá e nem da tal elite branca, sou um pobre cidadão que cresceu um pouquinho com trabalho e esperança.

Nenhum comentário: